domingo, 1 de marzo de 2009

A paixão dos suicidas que se matam sem explicação


O último poema

Assim eu quereria o meu último poema.
Que fosse terno dizendo as coisas mais simples e menos intencionais
Que fosse ardente como um soluço sem lágrimas
Que tivesse a beleza das flores quase sem perfume
A pureza da chama em que se consomem os diamantes mais límpidos
A paixão dos suicidas que se matam sem explicação.

Manuel Bandeira

Con un alarde de originalidad sublime, pongo también su "Poética" (para quienes no conozcan a Manuel Bandeira, lo normal es conocer sólo estos dos: es lo mismo que el "Romance sonámbulo" y el "Romance de la luna, luna" de Lorca)

Poética

Estou farto do lirismo comedido
Do lirismo bem comportado
Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente
protocolo e manifestações de apreço ao Sr. Diretor.
Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário o
cunho vernáculo de um vocábulo.
Abaixo os puristas

Todas as palavras sobretudo os barbarismos universais
Todas as construções sobretudo as sintaxes de excepção
Todos os ritmos sobretudo os inumeráveis

Estou farto do lirismo namorador
Político
Raquítico
Sifilítico
De todo lirismo que capitula ao que quer que seja fora
de si mesmo
De resto não é lirismo
Será contabilidade tabela de co-senos secretário
do amante exemplar com cem modelos de cartas
e as diferentes maneiras de agradar às mulheres, etc.

Quero antes o lirismo dos loucos
O lirismo dos bêbados
O lirismo difícil e pungente dos bêbedos
O lirismo dos clowns de Shakespeare

- Não quero mais saber do lirismo que não é libertação.

Manuel Bandeira


Aquí "El último poema" y aquí "Poética"



10 never more:

maloles dijo...

Jajajajaja

Me gusta Derecho, lo creas o no; es interesante. Y Ciencias Políticas también. De vez en cuando desespero; aún así, no está tan mal.

Bueno, mujer; espero que tu tutor vuelva a olvidarse un poco de tí y te deje en paz! No desaparezcas; desaparecer suena muy mal, mejor auséntate.

Un beso!

Nébula dijo...

wow! nuevo look?

Nadna dijo...

Abaixo os puristas

Amén

Juan Antonio dijo...

Todo es diferente... Has renovado. Bien. Ahora me parece que tu blog se ha hecho más maduro, adulto, algo así. Oh. Casi me das miedo.

Quero antes o lirismo dos loucos. Yo también.

Besos.

Meryone dijo...

que no cunda el pánico: no me he hecho mayor, simplemente encontré la forma de mantener el espíritu de poe y su taciturna medianoche y que leer mi blog no levantara un espantoso dolor de cabeza. nada más, lo juro

Carol Bret dijo...

Realmente has mejorado el blog. Me encanta el gris. ¿Has visitado ya mi BLOGSFERA? Sé que te gustará:

http://www.blogosferarevista.blogspot.com

Ah! Me encata esa Poética.
Besos.

Ulyanov dijo...

Me gusta el gris. Viva la poética de la ruptura. Viva el shandysmo :)
Un beso muy grande

Elaine Crespo dijo...

Oi! Maryone!

No meu blog tem um selo para você! Artes da minha filha de 12 anos! Se tiver tempo passa lá nem que seja só para escolher um para você!

Uma bela semana

Um beijo
Elaine

Juan Antonio dijo...

Querida princesa piel roja...

Besos.

Elaine Crespo dijo...

Meryone !

Mudou a pagina!?

Estou espantada com a coincidência de teres que postado os meus poemas preferidos de Manoel Bandeira!

Adoro! Vou postar um agora mesmo!
Mas quase todos são melancólicos!

Saudades de tu!
Estou ultimamente me sentindo muito só!
Antes na internet tinha tu, Wesley e Duds!
Mas mal consigo falar contigo e Duds! E Wesley só sabe falar de seus amores e da sua depressão por causa deles!

Tu pelo menos é como eu tem momentos alegres!

Um beijo em Folerpinha e george!

Um grande beijo para tu!

Da sempre tua amiga!

Elaine